quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Conto:Mover a si mesmo

Postado por Renatta Estefhany às 16:43 0 comentários
Mover a si mesmo


No primeiro dia de faculdade conheci uma garota peculiar, ela tinha grandes ambições e uma delas era mudar o mundo ou pelo menos as pessoas ao seu redor. Nas paredes de seu quarto havia pôsteres de lideres sociais, lia os jornais todas as manhãs, especialmente matéria relacionada à política, organizava manifestações, defendia a igualdade dos direitos entre as mulheres e os homens.
Vinte anos depois eu reencontrei esta mesma garota, ela não tinha mais o mesmo brilho no olhar, nem as ideias revolucionarias fora tudo deixado para trás. Eu lhe perguntei sobre o sonho de mudar o mundo e ela me disse:
- Não fui capaz de mudar o mundo, mas o mundo me mudou!-

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Crônicas: Televisão o maior deturpador da cultura

Postado por Renatta Estefhany às 15:35 0 comentários
                          










Se em algum dia a televisão já transmitiu alguma cultura ela foi massacrada, pois hoje a única intermediação é: Compre, vista, seja. Uma verdadeira maquina de destruição de princípios onde ressalta a vulgaridade, o machismo e a ignorância.

Programa educativos, que emitem alguma cultura são inexistentes. As noticias também não passam despercebidas são distorcidas e pretensiosas onde normalmente visa-se sempre favorecer um dos lados –o que mais lhe for mais cômodo ou lucrativo-.

A televisão nada mais é do que uma maneira de controlar a massa.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Resenha:Não sou este tipo de garota

Postado por Renatta Estefhany às 15:21 1 comentários
Autora: Siobhan Vivian
Páginas: 248
Editora: Novo Conceito
Onde comprar: Saraiva, 

Sinopse: Perversa ou inofensiva? Confiável ou hipócrita? Controlada ou insensata? A vida é sobre suas decisões e escolhas, e Natalie Sterling se orgulha de sempre fazer as melhores. Ela ignora os caras populares e babacas da escola, sempre ganha medalhas de honra e está prestes a ser a primeira estudante jovem a ser presidente do conselho estudantil em anos. Se apenas todas as outras garotas fossem tão sensíveis e fortes. Como o grupo de novatas que querem ser brinquedos dos jogadores de futebol. Ou sua melhor amiga, que tomou uma decisão idiota que quase arruinou sua vida. Mas ser sensível e forte não é fácil. Não quando uma brincadeira quase a faz ser expulsa. Não quando seus conselhos dóem mais do que ajudam. Não quando um cara que ela já deu um fora se torna o cara que ela não consegue parar de pensar. A linha entre o certo e o errado foi distorcida, e cruzá-la poderá resultar em um desastre… ou se tornar a melhor escolha que ela já imaginou fazer.



Faz alguns dias que comprei não sou este tipo de garota, antes li varias resenhas a respeito, principalmente sobre a protagonista, alguns eu julguei como exagerados, mas depois que li vi que era a pura verdade.
Vou começar falando sobre Natalie Sterling, a protagonista.

Natalie se enquadra no tipo de filha que todo os pais querem ter,a melhor aluna da classe esforçada,estudiosa , se engaja em projetos socais,está sempre ajudando sua amiga Autumn para que tenha tão bom êxito como ela no SAT – Teste de avaliação de conhecimento exigido para entrar em um curso superior nos EUA – e agora no seu ultimo ano do ensino médio sua meta é ser presidente do conselho estudantil.Ela tem tudo planejado passar no exame de admissão para uma boa faculdade e finalmente sair da sua cidadezinha.

Academia Ross + Prostituta = Rosstituta

Então,para sua surpresa,no inicio das aulas,uma caloura a reconhece como sua babá anos atrás,mas Spencer não é apenas uma caloura comum,ela é o tipo de garota que costuma colocar o nomes de um garoto que acham atraente em sua blusa como se ela fosse propriedade dele ,ela é uma Rosstituta (um trocadilho que eu achei bem legal),para ser mais exata ela é uma oferecida.Como Natalie é uma garota certinha e se sente responsável por Spencer,tenta ajuda-la a “andar na linha”,só que nesta missão ela acaba se perdendo,será que Natalie é mesmo quem pensa ser?
Para confundir ainda mais a nossa protagonista, surgi Connor,o personagem  que ira mudar um pouco Natalie.

“Observei o seu jeito de agir. A forma como ficava relaxado e casual.A forma que sorria para com o canto dos lábios.Ele mostrava confiança,era totalmente seguro de si.Naquele momento,entendi o poder verdadeiro de alguém que alguém como connor possui.Poderia convenser uma garota a fazer qualquer coisa,menis convencer a mim a deixa-lo ficar.
-Connor,estou falando serio.Ou você vai embora agora ou vou chamar a Srta.Bee.
-Você não faria isso – disse,vindo em minha direção.
Gargalhei.Ele esperava que eu desmaiasse ou algo parecido? Dei um passo na direção dele também, cruzei os braços e cheguei ainda mais perto. – É mesmo?Então pague para ver.
(..)
Ele sorri sem graça,fazendo com que uma covinha aparecesse na face esquerda – Você é bem durona,não é mesmo,Sterling?
(..)
-Você não tem ideia de quanto.Disse a ele.
Ele deu outro passo,bem grande,fechando o espaço que havia entre nós.
E então ele me beijou.Agarrou-me e me beijou, e todo o corpo dele ficou tenso em seguida.Foi uma atitude ousada a dele,e beijar sem nem mesmo me pedir primeiro.” (...)


Eu tentei resumir para vocês, já que a resenha já esta muito grande.Então é isso,eu gostei de ler Não sou este tipo de garota,foi uma leitura agradável e descontraída,mas não digo que foi uma das melhores,talvez por eu ter tido muita expectativa, e também outra coisa, Natalie Sterling faz com que namorar e transar pareçam ser a pior coisa do mundo para uma garota,como se por fazer isto ela se tornar-se promiscua,mas este livro também a seu lado bom,vemos Natalie evoluir,mudar,repensar suas ações,afinal que graça tem ler um livro em que a protagonista continua com os mesmos erros?!Não sou este tipo de garota tem uma lição no final,e eu gostei.


Book trailler:







Bom

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Resenhas: Amanhã numa boa

Postado por Renatta Estefhany às 13:07 2 comentários


Titulo:Amanhã numa boa (O titulo na frança é "Amanhã será melhor")
Autora: Faïza Guène
Paginas:176
Assunto: Literatura estrangeira 
Onde comprar: Americanas
nas

Em seu primeiro romance — um best-seller na França com traduções previstas para o japonês, italiano, espanhol e holandês, entre outros — a autora Faïza Guène conta a história de Doria, uma adolescente de 15 anos, filha de imigrantes marroquinos que mora em um conjunto habitacional chamado “Paraíso”, no subúrbio de Paris. Certo dia seu pai sai de casa e volta ao Marrocos para tentar, enfim, ter um filho homem com uma outra mulher. Doria cresce amargurada com esta figura paterna, que nem lhe disse adeus. Por isso, vive às turras com sua identidade: é uma estrangeira no mundo dos europeus, mas também entre os imigrantes.

Sua mãe, Yasmina, é analfabeta e, além de trabalhar como arrumadeira num motel de quinta categoria, recebe apoio da assistência social para sustentar a casa. Yasmina acredita que se o marido foi embora era porque estava escrito, era o destino. O que deixa Doria inconformada.

Com muito humor, a personagem narra a história como se estivesse escrevendo um diário e constantemente faz referências a personagens de histórias em quadrinhos, programas de TV, artistas internacionais e até mesmo supermercados: Doria se compara a um produto que pode ser trocado a qualquer momento.
 


Eu não criei muita expectativa quando comprei este livro e estava esquecido na minha estante até algumas horas atras,mas como era o unico livro da minha estante de leitura rápida resolvi com pouca fé lê-lo,mas surpreendeu-me foi uma leitura agradável e de certa forma inesquecível irei relê-lo em breve coisa que não faço por livro nenhum.



Desejo a todos um maravilhoso 2012,que todos os nossos sonhos se realizem ;D

domingo, 18 de dezembro de 2011

Resenha: A escolha de cada um - Regina Monge

Postado por Renatta Estefhany às 19:38 2 comentários


A Escolha de Cada Um nos ensina a reconhecer nossas limitações, nossos problemas, e nos impulsiona a ir ao encontro das soluções, buscar as oportunidades que a vida nos oferece. Alerta-nos para combatermos nossa inércia, nosso amortecimento, pois eles nos imobilizam, impedindo-nos de enxergar acontecimentos importantes. Esquecer o passado e ir em busca de nossos sonhos, nossos ideais. Ensina também que a existência continua, mostra um caminho iluminado, deixando-nos ver os obstáculos a superar. Dá a todos os mesmos direitos: à felicidade, ao sucesso, ao amor. Ele nos ensina a fazer escolhas. Escolhas certas. É um livro instigante, porque mistura realidade cotidiana com trechos totalmente surrealistas, História; e fala, acima de tudo, sobre o amor e seu poder de transformação.

“É verdade leitores, o caminho para o Olimpo é espinhoso e cheio de obstáculos.” Pag.18

Eu não esperava muito deste livro, a primeira coisa que me veio à mente foi Auto-ajuda , mas a historia me surpreendeu principalmente a primeira bem diferente  e original começando pelo seu narrador, um livro capaz de sentir e pensar como nós com o passar de cada paginas vemos sua trajetória até se tornar um Best seler.Senti-me dentro da historia como um personagem e poucos livros me proporcionaram isto.

“Ter esperança é algo fantástico e, simultaneamente, terrível.”Pag.23

Há livros nos ensina algo e há Aquele livro o livro que nós passamos sentimentos Regina Monge fez isto muito bem ela não passa apenas uma lição ela faz nos questionarmos de nossas ações e assim buscarmos nossas respostas e nas paginas deste livro.

É sobre o amor e o seu poder de transformação. Pag.33

A Segunda parte é realmente inesperada,mas como qualquer historia tem seus pontos fracos,eu realmente tive dificuldade em terminar este livro por que apesar de ser uma boa historia não foi capaz de prender a minha atenção. 

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Resenha: Papisa Joana - Donna Woolfolk Cross

Postado por Renatta Estefhany às 05:30 5 comentários
Título: Papisa Joana
Autor: Donna Woolfolk Cross
Numero de paginas: 496
Editora: Geração Editorial
Lançamento: 2009
Onde comprarLivraria Travessa
Sinopse:

No ano 853 A.C., após ter-se tornado um estudioso, curandeiro e professor de renome, João Anglicuse ascendeu à posição mais elevada da terra: Papa da Igreja Católica. Dois anos depois, foi apedrejado até à morte por um segredo que se tornaria uma lenda. João Anglicus era, na verdade, uma mulher - a única mulher alguma vez ordenada Papa, o único Papa que alguma vez concebeu um filho.







Quem foi Papisa Joana?

A Papisa Joana teria sido a única mulher a governar a Igreja durante dois ou três anos, segundo uma lenda que circulou na Europa por vários séculos. É considerada pela maioria dos historiadores modernos e estudiosos religiosos como fictícia, possivelmente originada numa sátira anti-papal. A lenda teve origem no final do século IX, mas outros situam o papado de Joana até dois séculos e meio antes, depois da morte do Papa Leão IV, coincidindo com uma época de crise e confusão na diocese de Roma. Segundo um cronista do século XIII, Joana ocupou o cargo durante dois ou três anos, entre o Papa Leão IV e o Papa Bento III (anos de 850 e 1100).A história possui várias versões. Existem muitas controvérsias . Alguns historiadores tornaram-se partidários de sua veracidade, outros a contestaram como pura invenção. Alguns céticos afirmam que o mito pode ter surgido em Constantinopla, devido ao ódio da Igreja Ortodoxa contra a Igreja Católica. O objetivo seria desmoralizar a igreja rival.Outra vertente é de que este papa seria, na verdade, um eunuco que, por ser castrado, não foi eleito, mas antes rotulado de «mulher».Outra hipótese é que, no século XIII, o papado tinha um grande número de inimigos, especialmente entre a Ordem dos Franciscanos ou a dos Dominicanos, descontentes com as diversas restrições a que eram submetidas. Para se vingar, teriam espalhado verbalmente a história da papisa.Barônio considera a papisa um monstro que os ateus e os heréticos tinham evocado do inferno por sortilégios e malefícios. Florimundo Raxmond compara Joana a um segundo Hércules enviado do céu para esmagar a Igreja romana, cujas abominações tinham excitado a cólera de Deus. Contudo, a papisa foi defendida por um historiador inglês chamado Alexander Cook.

O mistério torna o livro mais atraente o enredo é maravilhoso. Papisa Joana conta a historia de superação de uma mulher em busca de conhecimento desafiando o mundo dos poderosos no século IX  a  Idade das Trevas,alias  uma época  onde o conhecimento é privilegio dos homens.
Aprender a ler e a escrever por si só já foi um desafio para a papisa pois no seu tempo este conhecimento era apenas privilegio dos homens para tal feito começou a receber educação do  seu irmão mais velho, Matheus, começou a ensiná-la a ler, escondido dos pais,posteriormente teve que substituir o seu irmão numa escola para rapazes de elite (não irei dizer o porquê) criada em uma ambiente difícil criada no seio de uma família de crenças religiosas fortes, Joana aprende com a mãe o melhor do paganismo e com o pai o pior da Igreja Católica,após uma determinada idade os seus amores ilícitos com um homem casado despertam rivalidades fortes. Joana passou a viver em um monastério, onde aprendeu com um monge as artes medicinais. 
Isto é apenas um pouco da historia que é muito interessante e emocionante,já há um filme da mesma produtora que fez “O Nome da Rosa” . O roteiro é baseado no livro da escritora Donna Woolfolk Cross, que vai figurar nos créditos do filme como “consultora criativa”. Donna também assistiu às gravações, que ocorreram na Alemanha e no Marrocos. A estréia do filme foi em outubro de 2009 ano na Europa, e nas telas brasileiras a partir de dezembro.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Resenha: Sangue de lobo

Postado por Renatta Estefhany às 06:08 1 comentários



Título: Sangue de Logo

Autoras: Rosana Rios e Helena Gomes

N° de página: 520

Editora: Farol/DCL

Onde comprar:Arte Pau Brasil











Em 'Sangue de Lobo', um antigo original de um livro que conta uma história de mistério e morte jaz esquecido num pequeno museu em um restaurante no sul de Minas Gerais. Duas jovens, Ana Cristina e Cristiana, em viagem com a família de Ana, encontram-no e leem a história. Elas ficam assustadas, pois o enredo do livro retrata exatamente o jogo de RPG que elas criaram com amigos em São Paulo. E o mais curioso - a história se passa na cidade onde vão passar as férias. Foi lá que ocorreram crimes em série no início do século XX. E, no mesmo local, 100 anos depois, volta a acontecer uma sequência sinistra de mortes - oito macabras bonecas de porcelana parecem corresponder às vítimas de um insano assassino serial. As histórias do presente e do passado se misturam a partir do lobisomem Hector, um jovem inglês do passado que luta contra a maldição da Lua Cheia.


Sangue de lobo é suspense, mistério, sobrenatural e um bom romance mesclados e na medida certa


A capa não faz juiz ao conteúdo, o livro é muito bom, apesar de achar algumas partes desnecessárias e em minha opinião o começo também não chamar atenção, é um daqueles livros em que não nos separamos até chegar a ultima pagina.
A historia do livro é muito bem produzida,pesquisada e apesar de extensa, com 518 paginas com um mistério e  um romance arrebatador,tem em  cada pagina um pouco de romance mistério e o sobrenatural, gostei muito dos personagens e me identifiquei bastante com cada um deles principalmente por que o livro é feito de detalhes.
A perfeição e a imperfeição de cada nós faz ficar mais “íntimos” dos deles,nós fazem sentirmos o que eles sentem e vê seus pontos de vista.

O presente o passado se cruzam em Passa quatro.

Lobos,fantasmas,mascaras postas e desfeitas,mistérios,mentiras,suspeitas,personagens superando seus limites e amando.  


Sobre as autoras:



O livro foi feita por duas escritoras brasileiras, Rosana Rios e Helena Gomes,e é o sexto colocado entre os 10 classificados para o premio Jabut,(para obras publicadas em 2010) a mais importante premiação para a literatura brasileira.
Parabéns autoras, vocês merecem.

 

. Template by Ipietoon Blogger Template | Gift Idea